Como as atividades extracurriculares beneficiam os alunos, a escola e a sociedade

Nos últimos anos, o ambiente escolar adquiriu uma abrangência maior no que diz respeito a sua dinâmica de formação de indivíduos.

A instituição educacional é entendida hoje como um espaço capaz de aflorar nos estudantes competências cognitivas, sociais e emocionais, mas também capaz de edificar cidadãos plenos, com saberes úteis e entendimento do ambiente cultural e histórico em que estão inseridos.

Afinal, a comunidade escolar não é só uma entidade em que os jovens adquirem conhecimento formal, mas também uma importante referência para eles em termos de constituição de valores, aprendizagem social, contextualização cultural, etc. As atividades extracurriculares caem como uma luva neste novo contexto, que exige tanta responsabilidade e amplitude no papel dos colégios.

Por isso, elaboramos este artigo que responde à pergunta: por que inserir este tipo de atividade na escola? A resposta será dada em 3 contextos: do ponto de vista da própria instituição, do aluno e da sociedade.

Para a sua escola

Em uma entrevista para o portal do MEC, a presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia, Quézia Bombonatto, destaca alguns benefícios principais da aplicação de atividades extracurriculares:

  1. O estímulo cognitivo em áreas distintas;
  2. A vivência prática daquilo que se vê de maneira teórica em sala, complementando o processo de aprendizagem;
  3. O possível ganho acadêmico, já que é comum que os alunos obtenham melhor desempenho ao contar com aulas de reforço aplicadas de maneira prática em jogos, brincadeiras e outros projetos extraclasse;
  4. A interdisciplinaridade, que é tão falada atualmente e pode ser facilmente trabalhada neste tipo de atividade.

Além destes quatro aspectos importantes apontados por ela, consideramos também os seguintes:

  • A construção de um espaço de sociabilidade dentro do ambiente escolar;
  • A contextualização dos conceitos aprendidos em sala, possibilitando uma formação mais completa dos estudantes (com junção de teoria e prática, cognição, emoção e relação social);
  • O ganho de uma atividade interessante que pode ser divulgada como diferencial da escola.

 

Para os estudantes

A maior parte das atividades extracurriculares, se bem planejadas e executadas com objetivos claros, podem trazer inúmeras facilidades e ganhos para os alunos. Confira a seguir:

  1. O despertar da curiosidade dos estudantes por outras áreas e o apoio ao processo de descobrir-se (já citado anteriormente como benefício da instituição, mas que traz ainda mais vantagens para o aluno);
  2. O aumento do engajamento dos estudantes com a escola, visto que agora terão atividades lúdicas e interessantes inseridas no ambiente de aprendizagem;
  3. O aumento da autoestima e da autoconfiança, além de estimular o autoconhecimento. Isso acontece porque os jovens descobrem que há muitas outras atividades em que eles podem ser bons, motivando-os e fazendo com que se reconheçam como indivíduos dotados de talentos para serem explorados;
  4. O possível aumento do desempenho dos alunos nas disciplinas formais;
  5. O possível reconhecimento de utilidade e relevância daquilo que é aprendido em sala de aula, isso porque, segundo especialistas, o contato com atividades próximas da realidade prática fundadas em conhecimentos adquiridos em sala faz com que passem a ver sentido naquela aprendizagem.  

 

As atividades extracurriculares podem ser utilizadas em todas as turmas, independentemente do nível de proficiência dos alunos, mas, em alguns casos, elas também podem servir para um objetivo especial. Este é o caso da Escola Municipal Dr. Mario Augusto de Freitas, no Rio de Janeiro, em que as atividades foram criadas justamente para auxiliar os alunos com dificuldades em determinadas disciplinas.

Remetendo ao ponto 4 deste tópico (o possível aumento do desempenho dos alunos nas disciplinas formais), a professora de educação física Márcia Bandeira de Mello desenvolveu o projeto PraticaMente em 2009, que consistia na elaboração de jogos com materiais recicláveis. A sustentabilidade entrava com o plano de fundo e a disciplina em que o estudante tinha mais dificuldade seria o foco da brincadeira criada. No mesmo artigo mencionado anteriormente, Márcia cita que é importante mostrar que a matéria em que antes parecia difícil de aprender em sala de aula pode se tornar prazerosa e acessível. Na construção dos jogos, eles já entram em contato com suas dificuldades e, mesmo nesta situação, ela afirma que os estudantes adoram as aulas extracurriculares e voltam até mesmo quando já melhoraram a nota da disciplina pretendida.

Conheça outros exemplos de atividades como oficina de artes, de tecnologia, de música, jogos de raciocínio, dança, teatro, yoga, culinária e outros no artigo “12 atividades extracurriculares essenciais para sua escola”, clicando aqui.

Para a sociedade

O resultado desta prática tem também uma utilidade no macroambiente, envolvendo a comunidade, a cidade, o estado e o país em que estes alunos – mais bem preparados – estão inseridos. Veja os maiores benefícios desta prática para a sociedade:

  1. A formação de indivíduos mais bem preparados para lidar com situações adversas do cotidiano (simuladas por jogos, oficinas, entre outros);
  2. A edificação de estudantes com talentos diversos e capacidade de dar atenção à diferentes áreas cognitivas (ao estimular o físico através da dança e da yoga, o mental através de exercícios de meditação e do teatro), etc;
  3. E, por fim, o entendimento (por parte dos alunos) de que é possível – e necessário – equilibrar: exercícios físicos, mentais, psicológicos e sociais, sem negligenciar qualquer um destes aspectos.

 

O que achou sobre o tema e os benefícios contemplados? Tem uma opinião sobre o assunto? Comente aqui embaixo. Vamos adorar saber o que você pensa! 😄

Comentários

comentários

Deixe uma resposta